Mainnav

Entidades conquistam planos
Segmento continua a conquistar planos de fundações de menor porte e já considera até o mercado de entes federativos

Edição 334

Os fundos de pensão multipatrocinados ligados a bancos e seguradoras seguem em voo de cruzeiro. O volume de recursos administrados pelas cinco maiores entidades do segmento cresceu 21,36% entre outubro de 2018 e o mesmo mês do ano passado, atingindo R$ 30,03 bilhões. O salto, que supera em 11,89 pontos percentuais a evolução do sistema fechado de previdência complementar no mesmo período, reflete sobretudo a conquista de novos patrocinadores, que continuam migrando para esse modelo. Apenas as negociações em curso, de fundações de menor porte migrando para multipatrocinados, envolvem ativos da ordem de R$ 1,5 bilhão, estimam executivos do setor.
“A demanda espontânea tem aumentando nos últimos anos em razão da crescente complexidade regulatória imposta às entidades”, comenta Rosângela Jardim, superintendente de previdência da MetLife, titular do multipatrocinado Multiprev. “Fundações com algumas centenas de milhões de reais de patrimônio não têm escala para fazer frente, por exemplo, aos gastos com a certificação de dirigentes. Para elas, é muito mais vantajoso entregar seus planos para especialistas.”
Criado em 1992, nos últimos anos o Multiprev galgou cinco posições no ranking geral da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), passando a ocupar a 19ª posição, com R$ 8,4 bilhões de patrimônio e cerca de 48 mil participantes ativos. Nos últimos oito meses, desde julho do ano passado, a entidade já foi autorizada pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) a assumir a administração de cinco planos. A conquista mais recente, em janeiro, foi o plano da EatonPrev, com patrimônio de R$ 340 milhões. “No segundo trimestre deveremos assumir mais dois planos”, anuncia a executiva.
Segundo ela, a grande maioria dos processos seletivos dos quais a entidade participa é gerada por recomendação das consultorias que prestam serviços às entidades e aos patrocinadores. “As consultorias são figuras cruciais nessas operações, elas são sempre procuradas pelas entidades para dar os pareceres finais”, assinala a superintendente da MetLife. Ela diz não ter maiores preocupações com a concorrência das entidades abertas. “Nos últimos anos, só perdemos um plano para a previdência aberta. Retiradas de patrocínio são mais comuns.”
Responsável pela administração de 85 planos, dos quais 44 são de Contribuição Variável (CV), 38 de Contribuição Definida (CD) e três de Benefício Definido (BD), o Multiprev tem como uma de suas incumbência a realização de estratégias de marketing para ampliar o número de participantes das entidades. Esse trabalho, por causa da Covid-19, envolve ações realizadas principalmente pela internet, em campanhas específicas ou através do site. Em razão desses esforços, hoje 63,52% dos planos já atendem a meta estabelecida internamente, de ter pelo menos 80% de adesões, e 14 deles atingiram 100% de adesões”, diz. Segundo Rosângela, muitos planos chegam com menos de 50% de adesões, situação na qual apenas sete se encontram atualmente.
O objetivo do Multiprev é crescer pelo menos 13% em 2021, ultrapassando a marca de R$ 9 bilhões em patrimônio. Para isso, além de novos reforços profissionais para o gerenciamento dos planos e relacionamento com os patrocinadores, a entidade está realizando alguns ajustes nas suas carteiras de investimento, que incluem dez fundos exclusivos conduzidos por três gestores externos. Hoje, a renda fixa lidera com folga as apostas da entidade, com uma fatia de 80,21% das aplicações, seguida pela renda variável (15,06%), investimentos no exterior (3,31%) e estruturados (1,42%).Nos dois últimos anos, obteve um retorno de 39,90%

Depois de assumir o primeiro posto no nicho de multipatrocinados ligados a bancos e seguradoras, ultrapassando em janeiro de 2020 a Multibra, do Bradesco, a BB Previdência traça planos para se consolidar na liderança. A entidade, que conta com um volume de cerca de R$ 9 bilhões, está empenhada em ampliar suas operações, hoje voltadas a administração de 44 planos de empresas públicas, privadas, sindicatos e associações. A estratégia da entidade prevê a oferta de um novo produto multipatrocinado, o BB Prev Brasil, para estados e municípios que possuam regimes próprios de previdência (RPPSs), os quais estão obrigados pela emenda da Reforma da Previdência a oferecer planos de complementação de aposentadorias aos servidores com vencimentos acima do teto do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).
“Colocamos o nosso bloco na rua no segundo semestre de 2020. Já realizamos, até o momento, reuniões com 53 entes federativos, seis estados e 47 municípios”, conta o presidente da BB Previdência, Luiz Cláudio Batista. “A certificação dos modelos de regulamento e de convênios de adesão do BB Prev Brasil pela Previc, no último ano, facilitou e garantiu agilidade a esse processo de abordagem.”
O Banco do Brasil, ao qual a entidade é ligada, vem colaborando com a iniciativa. Cem profissionais da área de relacionamento com governos da instituição federal foram treinados para participar da campanha de vendas do BB Prev Brasil, especialmente junto a prefeituras. O próximo passo da BB Previdência será o lançamento, entre abril e maio, de uma plataforma eletrônica que permitirá simulações de contribuições e rendimentos futuros a servidores de estados e municípios, já contando com as primeiras adesões de patrocinadores ao plano CD. “Três negociações, uma com um Estado e duas com municípios, estão bem avançadas”, assinala Batista, que tem metas ousadas. “O objetivo é que o BB Prev Brasil atinja um patrimônio de R$ 1,5 bilhão em cinco anos.
Outra aposta da BB Previdência são as entidades de planos instituídos. Para alcançar esse segmento, a BB Previdência desenvolveu o Tecnoprev, plano voltado aos associados dos conselhos federal (Confea) e regionais de engenharia e agronomia (CREAs), com ativos por volta de R$ 216 milhões, e o BBPrev Futuro, criado em meados 2019 para os parentes em até terceiro grau dos 160 mil participantes ativos e 4,5 mil assistidos dos planos patrocinados administrados pela casa, que já acumula recursos superiores a R$ 100 milhões. “O público-alvo atual do BBPrev Futuro soma cerca de meio milhão de pessoas e ganhará o reforço dos futuros participantes do BB Prev Brasil, aos quais o plano também será oferecido”, diz Batista.
Com 70% de sua carteira ancorada em renda fixa, a entidade apurou uma rentabilidade de 7,55% no ano passado e vem diversificando suas aplicações. A prática teve início em 2020, com os primeiros aportes em dois fundos de investimentos no exterior, que já respondem por 5% do portfólio total. “Neste ano, pretendemos elevar de 12% para 15% a participação da renda variável nos recursos garantidores dos planos e realizar mais alocações no exterior, buscando, inclusive, novas opções. A ideia é atingir o limite normativo para esses fundos, de 10% do patrimônio”, diz Batista, que já sonha com um espaço para a BB Previdência entre as entidades sistemicamente importantes, as ESI, pelotão atualmente formado por 17 fundações com recursos superiores a R$ 1 bilhão.

O Icatu FMP, assim como o Multiprev, também está com suas atenções voltadas a processos de transferência de gerenciamento de planos em andamento. Com um patrimônio de R$ 2,7 bilhões, 41 planos de 71 patrocinadores, a entidade, ligada à seguradora homônima, conquistou em 2020 o plano CD da Cafbep, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Estado do Pará (Banpará), e se prepara para assumir, ainda neste semestre, a condução de outro produto. “Além das questões regulatórias, desafios na área de investimentos, como juros em patamares muito baixos e a alta volatilidade da renda variável, vêm estimulando patrocinadores e entidades a terceirizar, em escala crescente, a gestão de planos previdenciários”, diz o diretor executivo Sérgio Egídio. “Aderindo a multipatrocinados, eles reduzem custos e se livram de riscos atuarias.”
Demanda é o que não tem faltado ao segmento, diz Egídio. O Icatu FMP participou, em 2020, de 12 avaliações de multipatrocinados e registrou um aumento de 30% nas encomendas de estudos e propostas preliminares. As mudanças de gerenciamento, no entanto, com frequência demoram a ser implementadas, observa Egídio. “O prazo médio de implementação é superior a um ano, mas pode se estender por muito mais tempo”, diz o diretor executivo. “Em 2012, por exemplo, elaboramos um estudo a pedido de um patrocinador, que agradeceu e engavetou o trabalho. Só recentemente ele retomou as negociações do projeto conosco.”
Atenta à expansão da previdência complementar no setor público e à multiplicação de instituidores, a entidade vem gerando negócios para outras controladas do grupo Icatu. Um exemplo são coberturas de risco, de invalidez e morte para planos familiares e fundos de pensão mantidos por entes da federação. “As vendas desses produtos cresceram muito nos últimos cinco anos e seguem em alta”, diz Egídio, que não pretende, pelo menos a curto prazo, incluir a prestação de serviços de administração de planos instituídos e de entes federativos no cardápio da casa. “Temos recebido e estamos analisando propostas e consultas apresentadas por alguns estados e municípios. Mas, até agora, não temos nenhuma estratégia definida a respeito.”

Ligada à Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), a Previsc também vem ampliando a sua clientela, hoje formada por 39 patrocinadores e quatro instituidores de dez unidades da federação. Depois de assumir a condução do multipatrocinado LunelliPrev, em 2019, a fundação passou a responder, no segundo semestre do ano passado, pela administração dos planos PrevFiepa e PreviFiea, das federações das indústrias do Pará (Fiepa) e Alagoas (Fiea), antes instalados sob o guarda-chuva da Petros. “Em ambos os casos, fomos procurados diretamente pelos patrocinadores. A negociação com a Fiepa durou dois anos, mas com a Fiea o trâmite foi bem mais rápido”, conta a diretora-superintendente Regídia Frantz. e 18 produtos
A Previsc, com um patrimônio ao redor de R$ 1,5 bilhão e uma população de 16,4 mil participantes ativos e 1,5 mil assistidos, tem boas expectativas em relação ao seu instituído Indústria Previ, plano que já conta com adesões de cerca de 50 indústrias catarinenses. “O plano foi lançado em 2016 e vem recebendo melhorias constantes. O próximo passo será o lançamento de ferramentas digitais para o produto”, diz Regídia, que estuda a possibilidade de entrar na disputa do novo e promissor filão de fundos de pensão para servidores de estados e municípios. “Estamos analisando essa possibilidade”, diz a diretora-superintendente da Previsc. “Há aspectos positivos nesse segmento, mas, por enquanto, não temos uma posição clara a respeito.”

Patrimônio líquido
Entidade (em R$ bilhões)
BB Previdência R$ 9,00*
Multiprev R$ 8,45*
Multibra R$ 7,89**
Itaú Multipatrocinado R$ 3,27**
Icatu FMP R$ 2,70*
* entidades (dados de fevereiro e março de 2021) e **Consolidado Estatístico da Abrapp (dados de outubro de 2020)